segunda-feira, 30 de julho de 2012

Meu diamante

Os verdadeiros diamantes não são formatados ao bel prazer do mestre joalheiro, pelo contrário; é a maestria deste que faz com que perceba a forma final da pedra com a qual trabalha. De um diamante, retiram-se os excessos, respeitando o núcleo da gema preciosa que se tem nas mãos. A forma já é pré-existente, é apenas estimulada a surgir em sua plena beleza. Ao contrário de um vaso de barro, os diamantes não admitem ser moldados ao bel prazer do artista, afinando ou engrossando as suas paredes, acinturando ou dilatando o seu bojo. O diamante já existe por si, não é fruto da manipulação de uma matéria prima disforme. FOTO: Studio Croma Joias: Giuliana Mazzucato

Nenhum comentário:

Postar um comentário