segunda-feira, 9 de março de 2015

Raquel Jabour, Minha Benevolência

Como falar de uma pessoa que tanto criei um carinho por ela? Se eu só lembro dela com suas gargalhadas e zuações? 
Bom, vamos lá.
A Raquel nosso primeiro encontro não foi tão convencional assim , foi em um bar. Isso porque quem nos apresentou foi uma amiga em comum, Luiza.
Desde então the Zueira Never ends.rss
A Raquel diferente do que achei de início dela, com cara toda séria e de brava, só me surpreendeu, super auto astral e muito brincalhona. Não podemos nos ver que só sai palhaçadas. Tipo que o apelido dela surgiu. 
A historia da "Benevolência" não podia faltar aqui, senão não teria graça.
Pois bem. Bem que no dia de seu chá de panela a Raquel me chega aqui pra se arrumar, ai conversa vai, conversa vem, eu pergunto se teria algo de diferente que ela queria pro chá, caso tivesse um tema. E tinha. Ela disse que havia algo meio antigo de reis e rainhas, do tipo Romeu ... , e Julieta ..... -Qual era mesmo o sobrenome deles? Eu perguntei de sacanagem vendo que ela queria dizer e não se lembrava. Eu também não. Ela ficou B.B,B,B, acho que é Benevolente, Benevolência. Pufff. Nada disso. hahaha. De onde ela tirou isso não sei, mas algo de um súdito pedindo a benção do rei "a sua benevolência me permitiria inventar um sobrenome pra eles?"hahahha
Enfim, foi e é sempre muito engraçado e bom encontra-la e ver o quão sua beleza passa de dentro pra fora. A prova disso são sua lindas fotos tirada pelo fotografo Herlandes Tinoco.









Nenhum comentário:

Postar um comentário