terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Um Perfume


Ainda me lembro quando tive meu primeiro perfume. Eu o ganhei da mãe de um grande amigo que fizeram parte de minha infância. Eu tinha meus 12 anos,acho, mas o que eu me lembro muito bem foi da minha sensação. Uma coisa que fez sentir uma imensa alegria vindo de dentro da minha alma, que mostrou também um tanto minha personalidade, meio orgulhosa de mim, não sei explicar muito bem essa sensação que me deixou orgulhoso de mim mesmo.


Com o passar do tempo fui percebendo que cada perfume me trazia cheiros de algumas partes da minha vida, me lembram de pessoas, de lugares e emoções.
Agora um colecionador de perfumes, não por vaidade mas por essas lembranças e incríveis sensações, vi que cada dia quero está com uma emoção diferente e uso desse artificio para me transformar.
Dentre todos os perfumes vi que só um eu queria usar, e poderia para ser um com todos sentimentos, em todos os momentos.
Esse tem talvez todas a notas que os outros tem, mas tem a diferença de ser o mais simples e mesmo assim o mais requintado por não querer exalar demais e passar tudo que precisa para ser o que é.
Cleide posso dizer que é um desses perfumes. Um perfume feito de rosas, que antes de mostrar de qual flor é feito, mostra a sua essência e conquista pela sua força, com sutileza, um perfume primoroso.
Esse, precisamos, para sermos humanos verdadeiramente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário